Gabinete de Promoção do
Programa Quadro de I&DT

DS5 - Ação Climática, Ambiente, Eficiência de Recursos e Matérias-Primas

Orçamento: 3,08 mil milhões EUR (2014 – 2020)

Os desafios impostos pelas crescentes pressões sobre o ambiente e seus recursos requerem uma abordagem coordenada ao nível pan-europeu e internacional com o objetivo máximo do desenvolvimento sustentável.

Assim, o principal objetivo do Desafio Societal 5 centra-se numa economia eficiente em recursos e hipo carbónica que atenda às necessidades de uma população crescente, dentro dos limites de um planeta finito, mantendo os níveis de bem-estar e permitindo que a sociedade se adapte à mudança climática e ambiental.Para tal é premente compreender e abordar adequadamente questões como as alterações climáticas, produção e consumo de matérias-primas, património cultural e gestão sustentável dos recursos em toda a sua cadeia de valor.

A gestão sustentável do ambiente e dos seus recursos assenta na investigação multidisciplinar e integrada, de modo a melhorar o conhecimento das interações complexas entre clima, biosfera, ecossistemas, matérias-primas, observação da terra e atividades humanas. Esta abordagem permitirá o desenvolvimento de novas tecnologias, ferramentas, metodologias e serviços ambientais potenciando a interação com o mercado e a sua potencial comercialização, contribuindo assim para o impacto económico, social e ambiental.

 

Atividades (linhas investigação e Inovação)
Oportunidades/benefícios para as Empresas (PME incluídas)

O fortalecimento da posição da UE nos mercados globais de tecnologias ambientais contribuirá para o consumo e produção sustentáveis através da criação de oportunidades de mercado e consequente aumento de competitividade e emprego, ao mesmo tempo que se protege o património natural e cultural.

Dar-se-á especial atenção às tecnologias do setor da água, matérias-primas, química sustentável, construção, etc. A estreita colaboração com as Plataformas Tecnológicas Europeias relevantes para o Desafio Societal 5 potenciará o seu impacto e competitividade do tecido empresarial nomeadamente das PME. A dimensão socioeconómica das tecnologias, serviços e sistemas desenvolvidos potenciará a sua introdução no mercado e consequente aplicação. A economia verde será um dos principais alicerces para o aumento da competitividade das PME no Horizonte 2020.

MAPA GERAL DO SITE